79 3022-3355 | contato@impacto.com.br
     

economia2

Possuir um imóvel em seu nome é algo muito mais vantajoso e seguro do que gastar o seu dinheirinho suado com aluguel, como você já sabe. E, assim como a maioria da população brasileira identifica, você já deve ter se dado conta de que o caminho mais fácil e seguro para a concretização desse objetivo é optar por um financiamento.

Porém, a crise financeira que atingiu ao país tem influenciado muitas pessoas a adiarem esse sonho. Mas, é preciso um pouco de calma nessa hora, porque nem todas as notícias são ruins! A instabilidade financeira tem levado os preços dos imóveis a caírem e, por conta disso, muitos especialistas julgam que essa é a hora certa de adquirir um imóvel.

E para te ajudar a não perder a oportunidade do momento, analisamos os fatores que envolvem a utilização de um financiamento, modalidade que apresenta como uma das vantagens: poder vender o imóvel sem ainda ter terminado de quitar todo o valor. Confira nossas dicas a seguir!

O valor do imóvel é que deve ser compatível com a renda
Qualquer pessoa que tenha um emprego fixo e receba um salário pode financiar um imóvel, independentemente do valor da renda.

Mas, é claro que na hora da efetivação do financiamento este será um fator que será analisado e, aí sim, é que você poderá definir qual o valor do imóvel que se encaixa dentro das suas condições financeiras.

É fundamental destacar que as parcelas a serem pagas pelo financiamento só poderão corresponder ao valor resultante do cálculo de 30% da sua renda. Portanto, o imóvel escolhido deverá custar um valor que se adeque dentro dessa faixa, ou seja, deverá ser compatível com o seu poder aquisitivo.

Recapitulando: se a sua renda mensal é de R$ 3.000,00, o valor máximo que você poderá pagar pela parcela do financiamento é de R$ 900,00.

Analise as condições
Antes que você tome qualquer decisão é imprescindível que saiba quais são as condições exigidas para se obter o financiamento de um imóvel por meio dos principais bancos que realizam financiamento imobiliário no país.

Cada banco oferece modalidades de crédito diferentes. Em financiamentos pelo Sistema Financeiro Habitacional (SFH) é possível utilizar recursos da poupança e do FGTS. Você precisa ter mais de 18 anos para tentar um financiamento imobiliário e, no final do contrato, no máximo, entre 80 e 81 anos e meio.

Use e abuse das simulações
A primeira medida que deve ser tomada para analisar qual renda você precisa ter para adquirir um imóvel, antes mesmo ainda de dar início à busca pelo imóvel perfeito, é fazer a simulação de um financiamento.

Com ela é possível comparar os planos e as propostas apresentadas pelas instituições financiadoras e saber se o seu rendimento é suficiente para pagar as parcelas e atender às exigências do banco.

A grande maioria dos bancos disponibiliza esse serviço no seu próprio site. No site da Caixa, por exemplo, é possível simular a compra de um apartamento pelo programa Minha Casa Minha Vida.

Tente negociar
É válido lembrar que existe uma série de negociações que podem ser feitas durante o processo de solicitação de financiamento. Por isso, o ideal é procurar a instituição bancária escolhida, presencialmente, assim que for possível.

Outra questão relevante que você merece tomar conhecimento é a de que é bastante comum servidores públicos terem mais vantagens, quando se fala de financiamentos em instituições públicas.

Se o imóvel que se está adquirindo é o primeiro, o FGTS também pode ser utilizado para amortizar o valor de entrada do imóvel. E, por fim, a negociação pode ser feita também com quem se está adquirindo o imóvel. A tentativa é sempre válida!

     

Deixe seu telefone que ligamos para você.

Entre em Contato.